Arquivo

Posts Tagged ‘Bolos’

Bolo simples de Courgete

Hoje experimentei fazer este bolo verdinho de courgete e eis o que saiu:

Bolo Courgete

E garanto que está fofo, doce e muito saboroso…

Bolo de courgete

Ingredientes:
1 Courgete grande
2 Chávenas farinha trigo fina
1 e 1/2 Chávenas açúcar
4 Ovos
2 Colheres chá fermento em pó

Preparação:
Ligar o forno a 180º para ir aquecendo.
Separar as gemas das claras dos 4 ovos, depois bater as claras em castelo.
Juntar as gemas ao açúcar e misturar bem.
Passar a courgete pelo liquidificador e juntar à mistura do ovo e açúcar, mexer bem.
Juntar aos poucos a farinha e o fermento à mistura, mexer muito bem.
Por fim, misturar as claras em castelo à mistura, mexer devagar e levar ao forno numa forma previamente untada com margarina.
Cozer até ficar ao vosso gosto e não comam antes de arrefecer 😉

São servidos?

Anúncios
Categorias:Bolos, Culinária Etiquetas:,

Workshop de Bolos Decorados


Embora não tenha publicado muito por aqui sobre as minhas experiências culinárias, cá as vou fazendo mas sem o sucesso que mereçam ser aqui publicadas. Entretanto fui desafiado pela minha esposa para um pequeno curso sobre decoração de bolos, mais corretamente um workshop no Istofaz-se, desafio esse que aceitei já que o saber não ocupa lugar. E ainda bem pois aprendi como enriquecer e embelezar um simples e vulgar bolo caseiro, valorizando-o pelo menos o triplo!
Deixo aqui umas fotos do workshop para picar a vossa curiosidade.

A matéria prima e as ferramentas:
Matéria prima e ferramentas

Cobrindo os bolos com pastas de açúcar coloridas:
Cobrindo os bolos

A minha esposa construindo um ursinho de peluche:
Criando um ursinho de peluche

A obra prima da minha esposa:
Obra prima da minha cara metade

A minha obra prima:
Minha obra prima

As obras primas acima mostradas acabam por não ser nada de especial, mas as técnicas foram aprendidas, muitas ideias foram absorvidas e a imaginação é o limite!
Aguardem pelos resultados!

São servidos???

Categorias:Bolos Etiquetas:

Torta Doce de Amoras

Ando sempre a cozer pães ou bolos diferentes, poucos são os que não passam na nota e ficam na lista para serem repetidos, mas a vontade de fazer outros diferentes ultrapassa a vontade de repetir os já feitos.
Hoje lá optei por repetir um pão doce embora com algumas alterações e o resultado foi excelente:

Tôrta Doce de Amoras I

Tôrta Doce de Amoras II

Embora possa parecer ser difícil de o fazer e de ser trabalhoso, não o é! Antes pelo contrário e eis a receita:

Ingredientes:
200ml água
150ml leite magro
2 colheres sopa azeite
2 colheres sopa leite em pó
2 colheres sopa açúcar amarelo
1 colher sobremesa sal
1 colher sobremesa canela
500g farinha trigo
50g farinha Custard
2 colheres café fermento seco

Preparação:
Começa-se por colocar na cuba da MFP todos os ingredientes pela ordem acima descrita, escolher o programa “Amassar” ou equivalente. Após terminar o programa retira-se a massa da cuba e estende-se ela sobre uma superfície lisa previamente enfarinhada. Assim que estiver estendida, barra-se sobre ela um doce ao vosso gosto embora eu tenha optado pelo doce de amora. Enrola-se depois a massa de modo a torná-la um rolo cilíndrico. Corta-se o rolo em 5 ou 6 pedaços criando assim pequenas tortas e depositam-se na cuba da MFP meio desordenadas. Deixam-se lá quietinhas uma boa meia hora para crescerem e se misturarem umas com as outras e depois seleciona-se o programa “Cozer” e é só retirar após acabar o programa.

Eu tenho por hábito de dar um pouco de calor para que o crescimento seja mais rápido: se for para cozer no forno deixo-o com 50º e deixo lá a massa crescer meia hora; se for na MFP seleciono o programa “Cozer” uns 2 ou 3 minutos e depois desligo a MFP e deixo lá assim a massa a tal meia hora.

Eis a delícia com e sem flash mas com o mesmo sabor 🙂

Tôrta Doce de Amoras III

Tôrta Doce de Amoras IV

São servidos?? Respondam rápido ou acaba-se!

Categorias:Bolos Etiquetas:, ,

Bolo Rei da Nacional versus Bolo Rei à Minha Maneira

Bolo Rei é coisa que nunca tinha feito mas é bolo que deveras aprecio, como quase todos os outros… Com MFP a ajudar-me e o interesse pela culinária desperto, resolvi então debruçar-me sobre esta receita da Nacional mas ao lê-la percebi logo que conseguiria melhorá-la e personalizá-la ao nosso gosto. Mas acabei por fazer o Bolo Rei da receita original e hoje fiz o Bolo Rei à minha maneira e deixei umas fotos a compará-los para os leitores decidirem escolher o melhor. Ambos os bolos foram feitos com os mesmos tempos e programas! Quanto ao sabor é praticamente o mesmo mas o segundo da minha autoria é bem mais fofinho…

Agora quanto ao Bolo Rei da Nacional, eis os ingredientes:
1 embalagem de Farinha Branca de Neve para Pão de Brioche
2dl de água fria
100g de frutos secos (pinhões, nozes, amêndoas) em pedaços
50g de passas
Raspa de 1 laranja
2 colheres de sopa de vinho do Porto/Brandy ( usei 1 de cada)
Frutas cristalizadas, amêndoas peladas inteiras e nozes para decorar.
1 ovo para pincelar
Mel ou geleia para pincelar
Açúcar em pó para decorar

Preparação
Coloquei a água na cuba da máquina e juntei o conteúdo da embalagem. Seleccione o programa “Amassar” e depois de terminar o programa, adicionei os frutos secos, as passas, o vinho do Porto/Brandy e a raspa da laranja. Programei novamente “ Amassar” e deixei uns 15 minutos a MFP a trabalhar.
Quando terminou, retirei a massa da cuba para uma superfície enfarinhada ( um tapete de silicone sobre o tabuleiro de ir ao forno) e formei o Bolo-rei. Coloquei o Bolo-Rei no forno a 50º a levedar por uns 30 minutos. Pincelei o bolo com o ovo, decorei com frutos secos e cristalizados e enfeitei com montinhos de açúcar em pó.
Levei ao forno pré aquecido a 180ºC., por cerca de 30 a 35 minutos. Retirei do forno e volte a pincelar com mel.

Eis o resultado:

Bolo Rei Nacional

Bolo Rei Nacional

Meus amigos da Nacional, a vossa farinha de Pão Brioche pouco cresceu, mesmo após 70 minutos a levedar. Aumentou apenas uns 50%, muito pouco para o preço que ela tem! É certo que podia meter mais um pouco de fermento, deixar mais tempo a levedar mas isso seria aldrabar a receita…

Quanto à segunda receita, eis os ingredientes:
200ml leite morno
2 ovos
2 colheres sopa vinho do Porto e/ou Brandy
80g açúcar
50g margarina
raspa de 1 laranja
500g farinha trigo
2 colheres chá fermento seco
50g passas
100 g frutos secos (nozes, amêndoas e pinhões)
frutas cristalizadas
açúcar em pó para polvilhar
Mel ou geleia para polvilhar

Preparação:
Meti o leite, os ovos mexidos ( mas reservei um pouco para pincelar no fim), o vinho do porto e brandy 1920 🙂 a margarina, o açúcar, a raspa da laranja, a farinha e o fermento, na cuba da MFP e selecionei o programa “Amassar” tal como fiz na receita acima. Ao terminar, adicionei os frutos secos e as frutas cristalizadas, programei novamente “ Amassar” e deixei uns 15 minutos a MFP a trabalhar.
Quando terminou, retirei a massa da cuba para uma superfície enfarinhada ( um tapete de silicone sobre o tabuleiro de ir ao forno) e formei o Bolo Rei. Coloquei o Bolo Rei no forno a 50º a levedar por uns 30 minutos. Pincelei o bolo com o ovo, decorei com frutos secos e frutos cristalizados e enfeitei com montinhos de açúcar em pó (caso não me esquecesse…).
Levei ao forno pré aquecido a 180ºC., por cerca de 30 a 35 minutos. Retirei do forno e volte a pincelar com mel.
O resultado foi este e dá para ver que me esqueci do açúcar em pó 😦

Bolo Rei à Minha Maneira

Bolo Rei à Minha Maneira

O bolo ficou muito maior, bem mais fofinho, sabor quase idêntico e mais barato! Já estou encarregado de fazer outro para o dia 24 e a pastelaria onde costumava comprar o Bolo Rei todos os anos perdeu um cliente….

Servidos?

Categorias:Bolos Etiquetas:,

Praticando com bolinhos

Como informei no início deste blogue, sou um amador das artes de culinária que tem andado a descobrir os prazeres da cozinha mas do lado de dentro, não na mesa. Devo fazer notar que os prazeres na mesa são agora realçados por andar mais pela cozinha! Tenho de aprender muitas técnicas, praticar muito e tento sempre fazer inovações ou pelo menos fazer diferente para melhorar a receita original. Muitos pratos são os que sempre fizemos, outros que tentamos imitar a partir dos pratos que experimentámos em restaurantes vários, outros a partir de receitas de livros ou de receitas que encontro noutros blogues. E digo isto na primeira pessoa do plural porque a minha esposa também me acompanha nestes prazeres.

Nos últimos dias tenho tentado imitar algumas receitas que encontro na net, em particular receitas de bolinhos e biscoitos, coisa que eu não imaginava ser tão simples de fazer! Bom digo agora, há uns meses atrás diria diferente 🙂 Mesmo assim, o resultado nunca sai tão bem como vejo nas fotos donde tento imitar o produto, mas a cada tentativa sinto que faço melhor e com menos dificuldades.

Comecei com uns bolinhos de Maizena para aproveitar uma caixa dessa farinha que aqui tinha ao abandono e apesar de terem logo desaparecido do prato, não ficaram grande coisa mas aprendi com os erros e dificuldades dessa pequena empreitada.

De seguida fui ao ataque com uns bolinhos de canela que apesar do aspecto não ser o mais apelativo, garanto que estão divinais! E logo eu que adoro doces com canela! Fica aqui uma foto que apenas mostra o lado menos apelativo, a imagem:

Bolinhos Canela

Depois saltei para uns bolinhos de fécula de batata que alterei para bolacha de fécula de batata mas não ficaram grande coisa, mais parecem os famosos “Areias”. Mas comem-se e amanhã ou depois já não existirão!

Bolachas de Fécula Batata

Como adoramos tapioca, produto não muito conhecido por Portugal, fiz Tapioca Doce com algumas alterações e está simplesmente divinal! Uma das alterações que faço em doces é substituição do açúcar branco refinado por açúcar amarelo, dá aquele gostinho especial!

Tapioca Doce

E se eu sou tão amador, por que raio sou desafiado pela sushibaby a fazer uma receita e publicá-la aqui? Acho que ela quer que eu passe vergonhas, mas vou tentar fazer qualquer coisinha de diferente e que não pertença à família das sandes para publicar aqui, com as respectivas fotos.

E bom proveito!

Categorias:Bolos Etiquetas:,