Archive

Archive for the ‘Restaurantes’ Category

Restaurante O Burgo – Lousã

29/04/2012 4 comentários

Um passeio recente pela Lousã, resultou na descoberta deste local encantador, no qual está o restaurante Burgo.  A sua ementa é de fazer crescer água na boca, a paisagem é magnifica e há a garantia de momento bem passado.

Neste local está a praia fluvial da Nossa Senhora da Piedade, o que torna este local, no meio da serra, ainda mais convidativo.

Abaixo deixo 2 fotos para se deliciarem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Preço médio: €16 (almoço)
Atendimento: Prestável e simpático
Estilo: Tradicional
Pratos: Cozinha Regional
Classificação pessoal: 8/10

Categorias:Restaurantes

Restaurante Origami Sushiarena

Muitos portugueses já não passam sem um bom prato japonês, quanto aos outros … não sabem o que perdem! A multiplicação de restaurantes de cozinha nipónica tem aumentado a olhos vistos pela capital, alguns são de fusão com a cozinha lusa ou com a cozinha alentejana, com o objetivo de chamar novos clientes a estas iguarias e para mostrarem novos pratos que misturam os sabores de cozinhas tão diferentes. É o caso deste restaurante de nome Origami Sushiarena que tem as portas abertas no Campo Pequeno.

Durante o período do almoço, o serviço é de buffet ou não fosse toda esta zona um local de escritórios e os consumidores com horários mais restritos para o seu almoço, enquanto que à noite servem jantares de degustação pois a clientela tem mais tempo para degustar a excelente comida proporcionada.

Tive o prazer de o experimentar na hora do buffet e o preço é fixo: €15 mais a bebida. O espaço é bastante agradável mas aconselho a irem para o 1º andar pois é lá que se encontram todas aquelas centenas de iguarias para degustarmos, tornando-se difícil escolher quais os melhores petiscos. Tenho de confessar que alguns Sushis e Sashimis que provei foram dos melhores que comi em toda a minha vida, nem nunca tinha provado atum tão saboroso como o fiz no Origami! Há imensas entradas, inúmeros pratos de Sushi, Sashimi, Temaki, etc, e incontáveis sobremesas! …Ou quase.

Um senão: quem esteja de dieta, se calhar não é boa ideia passar por este restaurante pois é bem capaz de sair para a praça do Campo Pequeno arrependido de tanto comer…

Definitivamente um restaurante a visitar e a regressar!

Preço médio: €16 (almoço)
Atendimento: Prestável e simpático
Estilo: Moderno, ligeiramente oriental
Pratos: Japoneses e fusão luso-nipónica
Classificação pessoal: 8/10

Categorias:Restaurantes Tags: ,

Restaurante OutroRio, Jardim do Tabaco, Lx

Quase dois anos depois de ter saboreado um excelente jantar no Xico’s Rio, o regresso aconteceu. Surpresa inicial foi a mudança de nome devido a alterações de gerência, agora denomina-se Restaurante OutroRio, ocupando o mesmo espaço, mesma decoração, a mesma simpatia, mas com outros pratos, outras tapas… Segunda surpresa foi a recepção feita com uma taça de sangria de frutos vermelhos, uma frialdade saborosa e com capacidade de elevar o apetite.

Sangria

A sangria foi de imediato acompanhada com vários tipos de pão ainda quentes: de sementes, mistura, de milho, centeio ou apenas trigo, alguns deles feitos ali mesmo, com o usual azeite e vinagre balsâmico para molhar.

Optámos por Risotto de cogumelos e uns pratos de entradas para irmos degustando com calma. O risotto não era nada de especial, muito menos a quantidade, pensei até que fosse outra entrada tal a quantidade minúscula que colocaram no enorme prato. Quanto às entradas, eis a Bruschetta de queijo de cabra, muito saborosa:

Bruschetta

…a trouxa de Alheira:

trouxa Alheira

Ainda degustámos uns peixinhos da horta acompanhados com doce de maçã, maionese e um outro molho à base de tomate. Tudo acompanhado com um vinho da Estremadura, escolha sugerida pela casa já que a oferta é variada em quantidade e qualidade. De salientar que podemos escolher garrafas ou apenas copos de vinho…

As sobremesas são variadas, todas cheias de arranjos florais como manda a alta “cuisine”. Eis o Brulée de Chocolate Branco:

Brulée de Chocolate

…Folhado de Manga e Côco:

Folhado Manga e Côco

…e o Toucinho do Céu mais parecendo uma miniatura duma Madalena:

Toucinho do Céu

Tal como aconteceu com a anterior gerência, a simpatia e a rápida disponibilidade dos empregados foi exemplar. Mas no geral achei que tanto as entradas como os pratos principais tal como as sobremesas, eram doses pequenas demais. Acho que se calhar deveríamos ter na mesa além da colher, do garfo, da faca, também uma lupa para encontrarmos a comida. É isso que me deixa saudoso do Xico’s Rio e me fará não regressar, pelo menos enquanto esta gerência se mantiver.

Preço médio: €20
Atendimento: Atenciosos e simpáticos
Estilo: Moderno mas sóbrio
Pratos: Portugueses, gourmet
Classificação pessoal: 5/10

Categorias:Restaurantes Tags:

Darwin’s Café, Belém

Procurando por um restaurante à beira Tejo, eu e o resto da família resolvemos experimentar o Darwin’s Café. Enviámos um email a pedir a reserva um dia antes e como não houve resposta, tentou-se o(s) telefone(s) mas encaminhavam sempre para o email, teria de ser por esse meio a marcação da reserva. Ok, assim foi.

Hoje e ainda sem a confirmação, lá estávamos e pudémos constatar a bela e cuidada decoração:

Recepção

Mesa

Quanto à reserva, fomos informados através duma desculpa esfarrapada que tem havido uns “problemas” no computador, evitando dizer, portanto, que foram incompetentes e se esqueceram de marcar o pedido tal como também se esqueceram do mais elementar, responder ao email.
Paciência, restaurantes não faltam, incompetentes dispenso…

Preços: €20-€25
Atendimento: Nem mentir sabem…
Estilo: Internacional
Pratos: —————-
Classificação pessoal: 1/10 (apenas pela decoração)

Categorias:Restaurantes Tags:

Retiro da Algodéia, Setúbal

Setúbal, cidade conhecida pela indústria que a envolve, pelo azul do rio Sado que a banha e pelo excelente peixe que nos oferece na mesa. Confesso que por mais duma vez dou lá um salto para dar um passeio e para desfrutar do famoso choco frito ou então pelo peixe grelhado no Retiro da Algodéia.

Este restaurante fica localizado junto ao estádio do Bonfim, situado numa antiga fábrica, julgo que de conservas, e como tal é um restaurante amplo, fresco e bastante agradável. Logo à entrada somos convidados a bebericar um moscatel de Setúbal para abrir o apetite o que se pode considerar que sabem como receber uma visita faminta.

Moscatel

No lado esquerdo da entrada estão os vários grelhadores e o muito peixe fresco em cabazes para nos saciar os desejos. Podemos e devemos dar uma visita a esse mostruário para sabermos o que há e o que nos cria mais água na boca, antes de nos irmos sentar a uma das centenas de mesas disponíveis.

Além do enorme espaço e da altura do tecto que nos chama à atenção, uma palmeira protegida por uma parede de vidro que sobe para além do telhado é nos surpreende naquele local.

Palmeira

Bom, indo à “vaca fria”, ou seja, aos pratos propriamente ditos, não tem muita ciência nem muita arte: peixe grelhado à escolha acompanhado por batatas cozidas com pele e salada ao gosto de cada um. A caldeirada é outra das escolhas muito procuradas, não sei se pelo excelente sabor se pela enorme quantidade que nos colocam à frente em cima da mesa. Para regar o peixe a escolha de vinhos é variada e mesmo o jarro de vinho branco fresco ou a sangria é uma delícia que até Baco adoraria provar.

O serviço é rápido, não há muita atenção para com o cliente, há que ser rápido, cordial, educado, nada de mimos, basta o bom peixe para nos mimar. Mas se quisermos ter a atenção de todos os presentes é só falar mal do Vitória…. 🙂

Vitória de Setubal

O Retiro da Algodéia fecha à segunda mas já o apanhei fechado a um sábado ao jantar, confirmem antes de lá ir, just in case…

Preços: €15-€20
Atendimento: Simpático mas rápido
Estilo: Típico português
Pratos: Peixe grelhado, caldeirada
Classificação pessoal: 7/10

Categorias:Restaurantes Tags:

Casa Nepalesa

Aproveitei a ida às avenidas novas para tratar duns afazeres e fui experimentar a Casa Nepalesa, restaurante já me recomendado pela comida, pelas instalações e por pertencer ao mesmo dono do Come Prima. Eis a entrada do restaurante que deixa logo qualquer um curioso com o que irá encontrar dentro:

Entrada

Somos recebidos com toda a delicadeza à entrada e educadamente encaminhados à mesa reservada. Tanta a cordialidade quanto aquela que somos brindados no fim à saída pelos colaboradores que se posicionam junto à porta de saída com as mãos juntas a agradecer a nossa visita. Gostei do pormenor, tal como as roupas típicas do Nepal que trajam.

Eis o salão, com o tecto em madeira e as paredes revestidas a pedra com algumas peças de estilo Nepalês a ornamentá-las:

Salao

Sempre com música calma para relaxar o ambiente o que é sempre agradável, já desagradável e muito é o fato de se poder fumar neste restaurante. Se para muitos isso até que seja bom e para outros seja lhes indiferente, para as crianças não o é e por isso desaconselho as famílias com crianças de irem a esse restaurante.

Somos brindados com uns petiscos deliciosos feitos no momento e que podem ser acompanhados com vários molhos, picantes, agridoces, doces. Só um senão, sabem a pouco… 🙂

entrada

O pão é de estilo indiano, mas aqui designa-se por “roti”, uma tentação! Optámos por vários pratos de base de frango, “Kukhura”, que deixámos sem vestígios de comida ao fim de poucos minutos. O arroz é servido em dose XL num balde de bronze, delicioso como eles tão bem sabem fazer. Mas outras variedades de pratos não faltam, tem especialidades com gambas, cabrito e, claro, excelentes pratos vegetarianos.

As sobremesas são aparentemente vulgares mas apenas de nome, aconselho a “Mithai ko thali” para duas pessoas por ser uma sobremesa tripla! São três sobremesas diferentes para experimentar e saborear:

sobremesa

Estão abertos todos dias, bom ambiente, boa comida, muita simpatia, e … fumadores.

Preços: €15-€20
Atendimento: Atenciosos e simpáticos
Estilo: Típico do Nepal
Pratos: Comida Nepalesa
Classificação pessoal: 7/10

Categorias:Restaurantes Tags: ,

Restaurante A Tapadinha

Em Lisboa os restaurantes russos não abundam, apenas tenho conhecimento do Kalashnikov na Mouraria e o restaurante “A Tapadinha” em Alcântara, sendo este o que finalmente experimentei. É certo que é gerido por portugueses mas a cozinha está nas mãos dum cozinheiro russo e pelos vistos é possuidor dumas mãos mágicas tal o elogio que as nossas papilas gustativas lhes deram!

O espaço é pequeno, cabem talvez umas 25 pessoas mas existe um segundo salão na cave para mais de 50 pessoas que eles costumam reservar para grupos e não só. Quanto ao espaço do R/C as cores dominantes são o branco, o preto e o vermelho, com as paredes forradas com cartazes de inspiração soviética o que dá a sensação de estarmos em Moscovo nos anos 70, mas com toques de modernidade. A hora do almoço é bastante sossegada sendo que as horas de jantar são bastantes concorridas pois o restaurante também funciona como bar bastante procurado pela diversidade de vodkas, havendo necessidade de fazer reservas caso se queira visitá-lo à Sexta-feira ou ao Sábado.

A Tapadinha

A atendimento é simpático quanto baste, um pouco lento até. Dá para as encomendas… A ementa é variada mas à noite parece haver ainda mais escolha. Os pratinhos de petiscos são baseados em queijos enriquecidos com ervas aromáticas e eu aconselho vivamente a experimentar. A carta dos vinhos está bastante enriquecida pelas variedades de vodka e em especial, pelas vodkas aromatizadas com frutos ou ervas aromáticas, sendo produzidas lá na casa. Tenham algum cuidado com o tipo de aroma que escolhem com o vodka pois alguns deixam-nos logo bem dispostos. Escolhemos o vodka com limão e após dois shots antes dos petiscos percebemos que o limão é danado de perigoso 🙂

Pão

Quanto aos pratos deixámos-nos recomendar pela casa e ficámos bastante agradados com o que comemos, um frango Kiev recheado com vegetais:

Peito Frango Kiev recheado com Vegetais

E um lombo porco panado com nozes e creme, que estava simplesmente divinal:

Lombo Porco Panado com Nozes e Creme

Achei muito interessante e saboroso a variedade de ingredientes colocados em cada prato, obrigando-nos a tentar descobrir quais os elementos e como foram preparados em cada prato. As sobremesas são muito interessantes mas as panquecas russas demoram um pouco a chegarem à mesa.

A despesa por pessoa não é elevada face às descobertas de sabores russos que experimentámos. A voltar, definitivamente!

Preço médio: €20
Atendimento: Satisfatório
Estilo: Moderno com influencia soviética anos 70
Pratos: Russos
Classificação pessoal: 8/10

Categorias:Restaurantes Tags: ,